terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Banda Núcleo Base - Uma das novas caras do Hardcore Paraense


A banda de Hardcore Núcleo Base foi uma das grandes revelações da última edição do manifesto musical Bafafá Pró Música, que aconteceu no mês de dezembro do ano passado. Ficou curioso? Aproveite essa entrevista com o vocalista Zé Lucas. Além dele, a banda é formada por John Leir (guitarra), Manoel Augusto (baixo) e Lucas Monteiro (bateria).


CONTATOS: Lucas Monteiro(91) 8131-3531/8830-4830, jlucassmo@hotmail.com. E http://www.myspace.com/bandanucleobase e http://www. belrock.com .br/nucleo



Quanto tempo existe a banda Núcleo Base e quais são as principais influências?

A banda existe, na verdade, desde 2007, apesar de que, na época não tinha os mesmos integrantes e nem era a mesma proposta. A ideia inicial era tocar, acredite, pop rock. E na banda só tinha eu, o Lucas (bateria, na época guitarra) e o John (guitarra solo) e vários outros amigos nossos da época do colégio (todos estudávamos no mesmo colégio). Depois a formação foi mudando e chegou à primeira formação com o nome Núcleo Base, comigo nos vocais, Lucas na batera, John na guitarra solo, Manoel no baixo e Rafael na guitarra base. Foi quando começaram nossas primeiras composições com nossas influências de verdade. Simplesmente não conseguimos nos manter no pop rock. Todo mundo na banda curtia coisas mais pesadas e não conseguimos escapar disso. Depois dos primeiros shows, Rafael deixou a banda e começamos a tentar ter mais peso. Passamos algum tempo só com uma guitarra, fizemos alguns shows e então entrou Fábio na banda, com seu amor pelo metal e sua BC Rich monstruosa, não teve mais como nao meter a cara de vez no Hardcore/metal. Cada um de nós têm as suas próprias influências. Varia muito, como os solos de Hard Rock do John, os riffs de Death metal do Fabio e o Groove saído sabe-se Deus de onde do Manoel. Mas sei que falo por todos quando cito Sepultura, Pantera, Metallica e principalmente Madame Saatan e Delinquentes. Talvez sejam os poucos pontos de convergência entre os gostos da banda toda.

A banda já lancou algum CD? E quais são os planos para esse ano?

Não, ainda não lançamos CD. Temos umas gravações que foram feitas só a caráter de registro, nada formal, nem mesmo uma demo valendo. Mas isto está incluso nos planos deste ano. Vamos voltar ao circuito de shows em breve com músicas novas e toda uma dinâmica nova de trabalho. Uma demo será gravada e que será produzida de forma "caseira" por nós, já iniciamos o processo. Tudo será extremamente "D.I.Y." (Do It Yourself, "Faça Você Mesmo"), bem punk. Eu mesmo pretendo mixar, inclusive como experiência, pois sou iniciante também na área de Produção Musical de estúdio. Após a gravação da demo, pretendemos também organizar alguns shows por conta própria em parceria com algumas bandas locais e espalhar nosso nome!

Quais são os planos para se apresentar fora de Belém?

Bom, planos não temos ainda, pois nunca fomos convidados e ainda nao entramos em contato com ninguém de fora. Mas está nos planos da banda. Eu, pessoalmente, tenho visto muitas portas se abrindo para bandas locais tocarem fora, no entanto há uma certa impressão as vezes de que só as bandas integrantes de coletivos têm esse espaço, mas devo estar enganado. A circulação de bandas não deve (e não pode!) estar restrita só a grupos fechados. Apesar de que bandas renomadas conseguem esse espaço sem muita dificuldade como o Delinquentes, que sempre toca pelo Nordeste e Norte.
E o Madame Saatan que está morando em Sampa, sem integrar coletivo nenhum.


Qual é a tua opinião em relação aos coletivos (grupos de pessoas, de várias formações, empenhadas em impulsionar a cena independente do Brasil)?

Bom, acho uma idéia fantástica. De início, acredito que tinha um pouco de preconceito, mas após conversar com algumas pessoas e assistir algumas palestras durante a Semana de Profissio nalização do SeRasgum, passei a compreender melhor o processo e confesso que passei a achar uma iniciativa excelente! Quem diria que um dia o Anarquismo daria frutos? Enfim, ainda assim, as vezes fico um pouco receoso de isso formar "só mais uma panela" na cidade. Nós inclusive fizemos alguns shows com o pessoal da Associação Fora da Panela, que no fim das contas, nao tem nada contra ninguém da cidade, que fique bem claro, o nome é mais uma brincadeira do que um protesto real, apesar de sim, as vezes o espaço ser restrito a certas 'panelas' e nós pelo menos, não estamos inseridos em nenhuma. Entretanto, como disse antes, acho uma ideia fantástica! É realmente muito legal ver os conceitos de economia solidária, autogestão, mobilização civil e, porque não, um comunismo quase Anarquista (no sentido real da palavra).

3 comentários:

Formigueiro de Concreto disse...

Quem quizer continuar acompanhando a banda pode entrar no blog oficial: www.nucleoblogue.blogspot.com

marymaues disse...

Aê rapazes. Estou gostando de ver!

Luciola disse...

Eu quero te ver tocando aqui no Rio!!