segunda-feira, 31 de agosto de 2009

ROCK PARÁ ESPECIAL: ECOS FALSOS

CRÉDITO DA FOTO: Daniel Akashi
A banda paulistana Ecos Falsos é conhecida por não ter rótulos (que por um lado é excelente), além de ter um som pop, quase, cacofônico. Para explicar melhor sobre tudo isso, Gustavo Martins (vocalista, às vezes guitarrista e baixista) revela alguns detalhes sobre a banda nessa entrevista exclusiva para o blog Rock Pará, onde ele demonstra conhecimento sobre o rock paraense. "Eu gostei muito do CD da Stereoscope quando ouvi, e tenho ouvido falar bastante do Madame Saatan, claro. Toda hora ouvimos relatos também de como são legais os shows por aí, com um público super bem informado e animado, e queremos muitíssimo tocar quando o disco ficar pronto - aliás, é uma promessa, pode anotar! ". Além dele, a banda é formada por Daniel Akashi (guitarra e vocal), Davi Rodrigues (bateria), Rodrigo BB (guitarra e vocal) e Vini F. (baixo e vocal). No final da entrevista assista o clipe da música "Bolero Matador" (legendado).
Gustavo Martins

Como está a banda Ecos Falsos? Projetos? Shows? CDs?

Os Ecos Falsos estão muito bem, trabalhando duro no segundo disco. Tivemos um processo bastante intenso de trocas de integrantes desde o lançamento do "Descartável Longa Vida" até agora, portanto decidimos nos enfurnar em estúdio para criar algo que fosse coerente com nosso momento atual. O lançamento das músicas deve acontecer em outubro, seguido de shows nas capitais brasileiras para lançar o disco mesmo. Mas já podemos adiantar que vai ser um negócio diferente, não sei nem se poderemos chamá-lo de "CD".
Como você poderia analisar a cena independente brasileira atual?

Bem, a cena continua crescendo em importância, já atraiu uma atenção permanente da mídia, já se estabilizou como uma base de lançamento de novos artistas mais do que as gravadoras grandes, o que é ótimo. O momento de euforia dos festivais de 2008 acho que deu uma arrefecida, natural, por conta da crise mundial e tudo mais, mas vários avanços diplomáticos e de contato com o governo têm sido feitos pelo pessoal da Abrafin também, isso é importante e deve gerar muitos frutos. Quanto às bandas, eu noto uma certa tendência de voltar a cantar em inglês, não sei se por causa do "efeito CSS" e da possibilidade mais real de fazer pequenas turnês no exterior, o que é bacana mas não me agrada muito esteticamente. Mas também temos muitas bandas boas em português surgindo ou prestes a lançar coisa nova: Zefirina Bomba, Nevilton, Rockz, Sabonetes, Zebra Zebra, Superguidis, Charme Chulo... Não há do que reclamar.

A banda é bastante conhecida no mundo independente nacional. Um dos bons motivos é modo como vocês utilizam a internet? Essa forma de comunicação é indispensável para qualquer banda atualmente?

Bem, não utilizar a internet seria um grande contra-senso atualmente. Uma banda precisa se comunicar, chegar até seus possíveis fãs, e a internet atualmente se mostra a ferramenta mais poderosa e barata para fazê-lo. Mas ela tem uma dificuldade grande que é a cacofonia, TODO MUNDO se vendendo ao mesmo tempo, tentando chamar a atenção, então para ela funcionar a favor de uma banda não basta utilizá-la muito, é preciso utilizá-la criativamente. É como o clipe de "Spam do Amor" que fizemos, que deu muito mais repercussão e views do que daria um clipe normal por ser um jogo feito com nove vídeos de YouTube. As pessoas estão famintas por novidade, e isso tem um lado bom e ruim: o bom é que não existem mais preconceitos para se ouvir algo novo, desde que bom e bem recomendado pelos amigos; o ruim é que elas esquecem tudo com muito mais rapidez. Então me parece que para uma banda independente o caminho deve ser a criatividade contínua, continuar sempre produzindo músicas e novidades que agradem as pessoas, ao invés de ficar querendo lançar um disco e descê-lo goela abaixo de todo mundo.
Ecos Falsos na internet:

video

clipe da música "Bolero Matador" (legendado)

domingo, 30 de agosto de 2009

ROCK PARÁ ESPECIAL: APROVEITE O GROOVE DA BANDA LA RAZA

CRÉDITO DA FOTO: ORELHA

A banda paulistana La Raza foge de todos os estereótipos do que a mídia musical atual insiste em “enfiar goela abaixo”. O som é urbano, atual, ao mesmo tempo pop (sem frescura) e pesado. Conheça mais do que estou falando, através das palavras do guitarrista Guilherme Steiner, nessa entrevista que ele concedeu ao blog Rock Pará, na qual ele conta alguns detalhes sobre e até o seu conhecimento sobre uma das bandas paraenses que está despontando no cenário nacional, Madame Saatan. “Eu particularmente sempre gostei muito da banda Madame Saatan e hoje em dia acabamos virando amigos. É mais uma banda que está chegando com essa nova proposta de som pesado e que sabe mesclar muito bem com o som regional”. Além dele, a banda La Raza ainda conta com C-Nuñez (pick-ups), Alex Panda (voz), Thiago (bateria) e RafaHell Bombeck (baixo).... NOW, ENJOY THE GROOVE.

Guilherme Steiner em ação - CRÉDITO DA FOTO: ORELHA

A banda está se apresentando em várias cidades do País. Como tem sido a receptividade do público dos outros estados? E o que vocês têm percebido da cena independente do resto do Brasil?
A receptividade está sendo ótima. Temos um feedback positivo pelo fato do som do La Raza ser um pouco mais pesado do que as bandas da cena independente. Nos últimos tempos o som pesado está ganhando mais espaço aqui no Brasil, chegando até o Mainstream. Existem muitas bandas independentes boas, porém o público está crescendo e mudando um pouco a cabeça. Percebemos muito que está voltando a rebeldia dos anos 90. Ficamos muito felizes com isso!!!

Quais são os planos da banda para o restante desse ano?
Terminar a tour do cd “Bem Vindos a La Raza”. Já estamos compondo as músicas do próximo CD. Ainda esse ano iremos gravar uma pré e logo entrar em estúdio pra chegar em 2010 com play novo, clipe e muitas outras novidades.

O que você poderia destacar da cena independente do Pará? E também de São Paulo?
Eu particularmente sempre gostei muito da banda Madame Saatan e hoje em dia acabamos virando amigos. É mais uma banda que está chegando com essa nova proposta de som pesado e que sabe mesclar muito bem com o som regional. Aqui em São Paulo a cena independente é bem forte, mas hoje em dia está passando por uma fase de transição. A grande maioria das bandas novas que estão no Mainstream passaram muito bem pelo underground paulista e estão onde estão, que continue assim agora nessa nova fase da cena independente.

Um recado para os fãs da banda daqui de Belém?

Esperamos fazer um som e curtir o calor de Belém em breve. Enquanto não chegamos podem curtir nosso som através do nosso myspace: http://www.myspace.com/bandalaraza
Nossa agenda é atualizada semanalmente, pra acompanhar é só acessar nosso fotolog: http://www.fotolog.com.br/banda_laraza
E quem quiser trocar uma idéia com a gente, ficar por dentro das novidades nos acompanhem no Orkut e Twitter oficial do La Raza:
Orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=21694902
Twitter: http://twitter.com/bandalaraza

LA RAZA por ORELHA


video

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

HOJE É DIA DE AGOSTO PRO ROCK

Agenda: Dia: 28 de agosto
Hora: 22h

Local: Café com arte

Café com arte e MTV Belém

Apresentam: Barão Geraldo e Los Hermanos Cover.

Djs Roberto Figueiredo/Alex Pinheiro/Adriano Leite no set list 80s/90s/rock/hip-hop/indie/new wave/electrorock/sambarockIngressos antecipados:10 dinheiros. PROMO: 05 latas de cervejas por R$ 10,00 A noite toda

Dia: 14 de novembro

Local: Espaço cultural

Ná Figueredo Ensaio Aberto: Barão Geraldo e Paris Rock!!!

Entrada Franca.

Conheça o som de Barão Geraldo:www.myspace.com/bandabaraogeraldo

Festa 22h

video

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

MAIS CLIPES DE BANDAS PARAENSES

TURBO - EU SOU FEIO, MAS ELA GOSTA DE MIM

video

AEROPLANO - CONTRA A PAREDE

video

terça-feira, 25 de agosto de 2009

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

ROCK PARÁ: ESPECIAL DELINQUENTES - PARTE 2 (FINAL)



Ouvindo o novo CD da clássica banda de hardcore paraense Delinquentes, várias perguntas surgem. Entre elas: "Como essa banda ainda não conseguiu destaque nacional maior?", e "O que está faltando isso para acontecer?"

Sinceramente, nas primeiras audições do CD "Indiocídio" (Ná Music, produção de André Mattos junto com a banda) é clara a primazia na qual o disco foi composto e produzido. Porradaria com nitidez de todos os instrumentos.

Algumas músicas apresentam participações especiais, mas é o meu destaque fica para Sammliz (vocalista da banda Madame Saatan) na faixa "Ídolos Mortos". Vocais delicados, e ao mesmo tempo rasgados, tomando de assalto e impressionando o ouvindo mais sensível. Maravilhosamente incrível.

Outra destaque do CD dos Delinquentes é que com 17 músicas, quem comprar o CD poderá fazer algo bastante interessante: Ouça no talo, porque a duração do disco é de 37 minutos e 40 segundos; então dá tempo de perturbar a vizinhança e quando a polícia chegar, o flagrante já não existe mais.

Compre-o. Roube-o. Baixe-o. Mas tenha "Indiocídio" na sua coleção de CDs. É fundamental.

CONTATOS


ORKUT: http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=24526474

MYSPACE: http://myspace.com/delinquenteshc

BELROCK: http://www.belrock.com.br/delinquentes

MÚSICA PARAENSE: http://musicaparaense.blogspot.com/search/label/Delinquentes

FOTOLOG: http://www.fotolog.com/delinquentes

YOUTUBE: http://www.youtube.com/user/DelinquentesHC

EMAIL: delinquentes.hc@gmail.com

domingo, 23 de agosto de 2009

ROCK PARÁ: ESPECIAL DELINQUENTES - PARTE 1


Lançamento do CD “Indiocídio”

Uma grande celebração do Rock paraense está marcada para o dia 29 deste mês, a partir das 21h, no Caverna Club (antigo Liverpool). A clássica banda de hardcore Delinquentes lançará o segundo CD, “Indiocídio” (Ná music). Esse momento histórico ainda contará com a participação das bandas locais: Sincera, Nó Cego e Te Pego Lá Fora.

O material chega em boa hora, 9 anos depois do lançamento do seu primeiro CD (Pequenos Delitos), na época bastante elogiado na mídia especializada, chegando a ser considerado pela revista Rock Brigade (SP) como um dos melhores lançamentos do estilo do ano (2000), contendo 17 faixas do mais puro hardcore crossover (união punk / metal) acumulado ao longo desses anos.

Um detalhe bastante importante para quem for para esse lançamento: É bom preparar o pescoço, porque o CD está muito bem produzido e será reproduzido com toda a destreza dos músicos Jayme Katarro (berro), Pedrinho (guitarra), Raphael (bateria) e o mais novo integrante Pablo (baixo).

O “esquenta” do show principal mostrará o quanto o punk / hardcore paraense está muito bem representado em várias vertentes, como o “screamo” de efeitos psicodélicos e vontade estranha de se permitir e berrar do Sincera (uma das bandas que passou nas seletivas da Se Rasgum, com um dos melhores shows do evento), o punk clássico do Nó Cego (banda veterana que organiza atualmente o já famoso na cidade Madruga Fest) e a vontade de mostrar para que veio da novíssima e politizada Te Pego Lá Fora, com seu hardcore power-violence, ou como eles mesmo se auto intitulam: Capetacore....

A comemoração ainda contará com exibição de vídeos, incluindo o mais novo clipe da banda (Vagamundo), além de outros de bandas locais.
Ficou com vontade? Então, se prepare.

Serviço do Show:
Lançamento do CD “Indiocídio”, da banda Delinquentes, no dia 29 (sábado), à partir das 21:00h no Caverna Club (antigo Liverpool). Ingressos à R$ 5.

Bandas convidadas:
Sincera
Nó Cego
Te Pego Lá Fora

Ficha Técnica do CD:
Gravado no Estúdio Vértigo
Produção: André Matos e banda Delinquentes
Arte Gráfica: Fábio Garcia
Fotos: Renato Reis
Participações: Sammiliz Lage (Madame Saatan), Andrei Simões (I.O.N.), Raphael (D.H.D.), e Bruno (Telaviv).
Lançamento: Ná Music e Tacakaos Records

sábado, 22 de agosto de 2009

SÁBADO É DIA DE MUITO ROCK EM BELÉM

DJs da Festa ON THE ROCKS

3º aniversário do ON THE ROCKS

Apresenta:

REMEMBER 80s II (SAVE FERRIS!)

Para comemorar três anos do coletivo de DJs On The Rocks!, acontece o tributo ao universo musical dos filmes do diretor, produtor e roteirista norte-americano John Hughes.
Ele foi o responsável pelo sucesso de filmes memoráveis dos anos 80, como “A Garota de Rosa-Shocking”, “Clube dos 5”, “Gatinhas e Gatões”, “Antes Só do que Mal Acompanhado”, “Mulher nota 1000”, entre muitos outros.
Para fazer o público relembrar (ou conhecer) as músicas que embalaram esses filmes, em fantásticas trilhas sonoras, os DJs Ruy Oliveira, Alex Pinheiro, Dani Carvalho e Márcio Souza, junto ao convidado especial DJ Fábio Miranda, do projeto “Só 80”, vão fazer uma festa especial.
Entre as bandas homenageadas estão: Simple Minds, New Order, The Smiths. Echo and the Bunnymen, Oingo Boingo, David Bowie, INXS, entre muitas outras.
A festa Remember 80s II (Save Ferris!) será realizada no mais novo espaço da noite de Belém: Boteco da Tamandaré (Tamandaré, entre São Francisco e 16 de Novembro, próximo ao Aslan).
Haverá sorteio de brindes a noite toda!

Data: 22/08/2009 (sábado)
Ingressos: R$ 7 antes das 22h, depois R$ 10.
Mais informações: 9116-8094


CONHEÇA MAIS SOBRE HUGHES

“(…) A vida passa muito depressa. Se não paramos para curti-la, ela escapa por nossas mãos”.
“(…) Se alguém não acredita em mim, não posso acreditar nesse alguém”.
“(…) Eu prefiro estar com qualquer um pelos motivos errados do que sozinha pelos certos”.

Se, ainda hoje, os trechos destes diálogos não soam como trivialidades pueris, é provável que você tenha exercitado seu imaginário adolescente ao longo dos anos de 1980 (ou adjacências), em memoráveis Sessões da Tarde povoadas pelas narrativas de John Hughes. Evidentemente, não podemos excluir aqueles que, em sua vida mundana e recentemente adulta, puderam desfrutar de matinês domésticas, no início do século XXI.
Mas, não se trata de discutir (aqui) cronologias de gerações ou relembrar as desventuras de Ferris Bueller, Andie Walsh e Amanda Jones, nos respectivos longas: “Curtindo a Vida Adoidado” (1986), “A Garota de Rosa-Shocking” (1986) e “Alguém Muito Especial” (1987). Menos ainda, endossar o discurso que sustenta a comercialização e a banalização da nostalgia. Qualquer menção a respeito desses filmes – seja qual for – não pode ser desvinculada de seus testemunhos musicais.
A dramatização e encenação dos dilemas juvenis, sobretudo no lado ocidental do planeta, é tão universal quanto à idéia de que cada transcorrer de momentos – estilizados, idealizados ou cotidianamente vivenciados – pode ser traduzido ou imaginado através de um repertório musical. E a maestria de John Hughes está em construir fábulas juvenis, nas quais a trilha sonora constitui uma sinopse “do” e “para o filme”.
Em Alguém Muito Especial, não apenas uma das personagens principais (Amanda Jones) remete ao título de uma música dos Rolling Stones, como também os outros dois personagens centrais – Keith e Watts – são batizados com os nomes dos integrantes da banda. Entretanto, Hughes não restringe sua composição poética através desses singelos batismos e nos brinda, então, com uma trilha sonora que congrega Jesus and Mary Chain e a combativa banda alemã Propaganda, que é tocada no início do filme quando Watts está tocando bateria.
Aqueles que acompanharam as incertezas de Keith rememoraram, certamente, a história da “garota de rosa-shocking”, embalada por The Psychedelic Furs (com a música “Pretty In Pink”, relançada especialmente para o filme), Echo & the Bunnymen, New Order (que acompanha Andie enquanto ela reforma o vestido do baile), The Smiths, INXS, Suzane Vega, Orchestral Manoeuvres In the Dark (pontuando o grande final), entre outros. Engraçado notar que a trilha do filme – que prima pela diversidade – é muito mais reverenciada e presente no (in)consciente coletivo, do que propriamente os personagens Andie, Duckie e Blane. O que demonstra o valor da música como uma legenda do filme.
E alguém tem dúvida de que “Oh Yeah” (Yello) nas cenas finais de “Curtindo a Vida Adoidado” não é a melhor tradução daquele momento? O filme – que reúne nomes como (os “hippies” do) Dream Academy, Wayne Newton (“dublado” por Ferris) e Sigue Sigue Sputnik (magistralmente escolhida para caracterizar a sequência inicial do filme, quando Ferris dá aulas sobre como cabular aulas) – dispensa uma “sinopse musical” didática. Se você possui um aparelho de TV – adquirido ao longo desses últimos vinte anos – deve lembrar do discurso de apresentação que antecede a música que Ferris toca na Parada de Chicago.
E, para os colecionadores de “momentos”, não podemos esquecer as várias referências presentes no longa: as músicas de Star Wars, Jeannie (tema de “I dream of Jeannie”) e o pôster do Simple Minds – que fez parte da trilha de “Clube dos Cinco”, 1985 – no quarto de Ferris.
Não há como duvidar de que essas músicas constituem uma extensão natural das cenas e atribuem sentido à narrativa como uma totalidade – que conjuga signos, representações e imagens – dotando o filme da capacidade de despertar memórias afetivas.
Seria um ato indecoroso e de uma redundância indecente querer “provar” a perfeita sinergia entre essas músicas e os filmes. Qualquer “tentativa de artigo” nesse sentido fere um princípio da mais profunda lógica: os clássicos não precisam de mediadores.

Por Regina Ikezaki
Fonte: http://pt-br.wordpress.com/tag/trilhas-sonoras/



----------------------------------------------------------------------------------------------




--------------------------------------------------------------------------------------------





sexta-feira, 21 de agosto de 2009

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

TE COMPORTA MENINA - CONTINUA COM TODA A FORÇA


Te Comporta, Menina !!!
As festas com as bandas Suzana Flag, La Pupuña e bandas convidadas vão continuar nesse segundo semestre. Sempre às quintas-feiras, a partir das 22h, no Palafita.

É isso mesmo, as festas que marcaram as férias de Julho vão continuar no Palafita, com as bandas Suzana Flag, La Pupuña e a banda convidada dessa semana será a Carimbó Fuso Dub Clube.
Suzana Flag e La Pupuña estão com o repertório de composições próprias e que já conquistou o público paraense.
Mas a curiosidade dessa semana é a Carimbó Fuso Dub Clube formada por alguns alemães, que simplesmente, enlouqueceram com o poder do carimbó. E misturaram, o ritmo paraense com batidas eletrônicas.

Serviço:

Te Comporta, Menina !!!

Com as bandas Suzana Flag, La Pupuña e a Carimbó Dub. No Palafita, a partir das 22h. Ingressos à R$ 10.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

ESPECIAL: SHADOWSIDE - O MAIS NOVO EXPOENTE DO METAL NACIONAL

Shadowside


Depois do surgimento da banda paraense Stress, a primeira a lançar um LP do estilo no Brasil (“STRESS” – 1982), que o Metal nacional vem ganhando muito espaço e destaque mundialmente. Sepultura, Viper, Angra, Shaman, já mostraram e ainda mostram essa qualidade. Mas agora, direto de Santos (SP) vem o mais novo expoente, Shadowside. A vocalista Dani Nolden concedeu uma entrevista exclusiva para o blog Rock Pará, onde demonstra muita simpatia, inteligência e interesse sobre o rock paraense. “Não estou muito por dentro da cena de Belém, mas conheço o Stress, claro! Gosto de conhecer bandas novas, sempre que alguma banda ou músico me adiciona em sites como MySpace ou Orkut, eu procuro escutar alguma coisa. Ficarei de "ouvidos abertos" para as bandas de Belém”. Além dela, a banda é formada por: Fábio Buitvidas (bateria), Raphael Mattos (guitarras) e Edu Simões (baixo).

ASSISTA O CLIPE DA MÚSICA "HIGHLIGHT" NO FINAL DO TEXTO.




Dani Nolden

Quando você começou a se interessar por Heavy Metal?
Dani: Eu estou envolvida com música desde os 7, 8 anos de idade, mas comecei a escutar Heavy Metal aos 12. Eu tinha mais ou menos 10 anos quando meu primo me apresentou a bandas como Guns n' Roses, Skid Row e aos poucos fui descobrindo bandas como Judas Priest, Iron Maiden, e me apaixonando cada vez mais pelo estilo. Foi uma sensação de ter encontrado a música que eu sempre gostei e não sabia. Eu sempre gostei muito de Queen, mas minhas preferências sempre foram às músicas mais Rock que Pop deles, como “Breakthru” - uma das minhas favoritas até hoje. Eu ficava no meu quarto, com a porta trancada e o som no último volume, tentando cantar igual aos meus cantores favoritos e deixando meus pais loucos (risos).

Quem são as tuas principais influências?

Rob Halford, Sebastian Bach, Paul Stanley... Eu gostava mais de vozes de atitude que vozes "refinadas". Hoje gosto das duas coisas, especialmente quando elas estão juntas, mas o que me atraiu e influenciou de verdade a querer cantar Heavy Metal foi à energia. Naquela época, eu achava que cantar era fácil, gritar que era difícil. Desenvolvi esse lado "agressivo" primeiro e me preocupei com a musicalidade apenas quando comecei a cantar em bandas e minhas influências passaram a ser mais os companheiros de banda que tive do que os músicos já estabelecidos. A experiência de tocar com outros músicos, que escutam coisas diferentes de você, com personalidades que conflitam com a sua, me fez crescer muito como cantora. Acho que nada é mais interessante e enriquecedor para um músico do que isso.

Você alguma vez percebeu alguma espécie de privilégio ou preconceito por sua banda ter uma vocalista?

Privilégio, não, porque acredito que quando a música é ruim, nada funciona. Seja com um homem ou uma mulher como vocalista, as pessoas vão escutar apenas se a música agrada. Uma espécie de preconceito existiu e existe até hoje, mas não aquele tipo de "mulheres não devem fazer isso". Apenas é comum que as pessoas pensem que somos uma banda de Gothic Metal ou algo parecido antes de nos conhecerem. Nós começamos em 2001, quando teve aquelas explosão de bandas com mulheres no vocal e bandas como Nightwish e After Forever, então as pessoas passaram a associar bandas de Heavy Metal com mulheres a essas bandas. Eu não tenho nada contra elas, mas obviamente nós somos bem diferentes.
Minha voz é diferente, é mais grave, funciona melhor com coisas mais cruas e pesadas. Nós não estávamos tentando intencionalmente ir contra a tendência, mas não foi o caso, foi apenas uma coincidência. Eu cantaria como canto hoje de qualquer forma, mesmo se todas as outras mulheres do mundo soassem como eu. Essa é minha identidade. Essa confusão ajuda em alguns casos e prejudica em outros...
Quem gosta de Gothic Metal ou cantoras de vozes mais delicadas nos escuta achando que seguimos a mesma linha, mas a menos que ele goste apenas disso, é possível que acabe gostando de nós, mesmo que não sejamos o que ele esperava. O problema é quando uma pessoa não escuta porque não gostou dos vocais femininos que escutou até hoje. Outras coisas que escutamos com frequência é que eu sou uma vocalista contratada, que a Shadowside tem uma mulher na banda apenas para vender mais, o que não seria possível, afinal eu sou da formação original e ninguém na banda tinha pretensão alguma no início. O mais curioso e engraçado que já li sobre essa história foi alguém nos acusando no site Blabbermouth de sermos um bando de vendidos.
Ele dizia ter escutado o “Theatre of Shadows” (Nota do editor: o primeiro CD da banda), com o "cantor antigo" e que agora estávamos com uma mulher na banda apenas para ganhar dinheiro com a moda de mulheres no vocal, quando o tal "cantor antigo" era eu. Acho que essas coisas são naturais quando você tem uma voz diferente, não me incomoda. No começo, as pessoas não entendem mas depois percebem que isso é algo seu. Tudo que é novo causa estranheza e confusão.



Cartaz de divulgação do novo CD "Dare do Dream"


Você conhece alguma banda de Belém?


Não estou muito por dentro da cena de Belém, mas conheço o Stress, claro! Gosto de conhecer bandas novas, sempre que alguma banda ou músico me adiciona em sites como MySpace ou Orkut, eu procuro escutar alguma coisa. Ficarei de "ouvidos abertos" para as bandas de Belém.


Além do Heavy Metal, ela também já se cantou e interpretou outros estilos musicais?

Não em bandas. Eu cantei Pop e Pop Rock em estúdio, tinha um amigo que precisava de uma gravação urgente então eu fiz o trabalho para ele, mas pensando o tempo todo "o que eu estou fazendo aqui?" (risos). Eu sou aberta a outros estilos musicais, mas não me vejo trabalhando como Pop. Eu gostaria de gravar alguma coisa de Blues algum dia, acho que seria divertido e interessante.

Quais são os principais temas das letras das canções das bandas?

São coisas do cotidiano, situações que acontecem na minha vida, na dos meus amigos, pessoas que eu conheço. Eu posso escrever apenas sobre o que eu conheço bem. Tem vários assuntos que me interessam, mas nada poderia ser mais sincero e real do que a minha própria vida. As letras são como meus diários, a maioria delas é uma história que realmente aconteceu, mesmo quando eu não sou clara sobre o assunto. Gosto de deixar as pessoas interpretarem e levarem as letras para suas próprias vidas e situações, como em “Baby in the Dark”, que é sobre um amigo meu que tentou se tornar o que a sociedade considera "normal" e acabou se esquecendo de quem ele realmente era, mas eu sempre dedico essa música nos shows para todos aqueles que estão perdidos ou conhecem alguém tão perdido quanto um bebê no escuro.

“Hideaway”, nosso segundo single, também fala sobre diferenças entre as pessoas; muitas são perseguidas, especialmente nas escolas, por terem gostos ou comportamento incomuns. Já In the Night fala sobre o comportamento de uma mulher que se cansa de manter um relacionamento em segredo, de uma forma séria e bem-humorada ao mesmo tempo. É mais ou menos como se eu tivesse me colocado no lugar de uma mulher em TPM que decidiu que não vai mais ser a "outra" (risos). Já “Dare to Dream” é a música que eu considero a mensagem mais forte e direta do álbum, que é "atreva-se a sonhar". Seja seu sonho simples ou praticamente impossível, nada vai acontecer se você não se atrever a sonhar - e ir atrás do que você quer. Alguns sonhos estão bem mais longe que os outros, mas as coisas só vão mudar se você começar a caminhar...

A cada passo que você dá, você está um passo mais próximo de onde você sonha em chegar. Eu procuro escrever comentários sobre o que vejo de errado, mas sem julgar as pessoas, apenas colocando as coisas de uma forma positiva e talvez dando ideias sobre o que pode ser mudado. Nós somos uma banda para você se divertir e se livrar dos problemas por alguns instantes, não lembrar você de como as coisas são difíceis.

Quais são os próximos passos da banda Shadowside?

Tocar onde pudermos! 2009 e o início de 2010 será um período cheio de trabalho para nós e não queremos saber de descanso. Recentemente estivemos na Espanha, fizemos quatro shows por lá, depois voltamos ao Brasil e tocamos como uma das atrações principais do Araraquara Rock, depois tocamos em Santos com o Sepultura, que foi uma verdadeira honra. Ainda mais porque eles nos convidaram para uma jam no final do show na “Roots Bloody Roots”. Nunca tinha me imaginado cantando Sepultura, ainda mais ao lado deles. Foi uma bela experiência. Agora em Setembro voltamos aos Estados Unidos para uma turnê extensa por lá, até o momento são 24 apresentações em menos de um mês, com possibilidade de mais uma semana de shows. Depois temos planos para uma turnê brasileira antes de retornar a Europa para mais uma passagem pela Espanha, possivelmente Portugal pela primeira vez e estudaremos a possibilidade de incluir mais alguns países, além de outra passagem pelos Estados Unidos, dessa vez pela Costa Oeste, onde nunca tocamos antes. Só então vamos pensar em um novo álbum. No momento, estamos 100% focados no “Dare to Dream”, que entrou na Roadie Parade da Roadie Crew como um dos 5 discos de Metal mais vendidos do mês de Julho, ao lado de Iron Maiden e Heaven and Hell. Portanto vamos continuar ocupados, a banda está indo muito bem mas estamos apenas começando. Temos muito trabalho pela frente e felizes com isso!

CONTATOS:

video

terça-feira, 18 de agosto de 2009

LOS PORONGAS: PURA EMOÇÃO


A apresentação da banda Los Porongas, que aconteceu no sábado passado, no Açaí Biruta, com a produção do Coletivo Megafônica, em Belém, foi algo extremamente emocionante. Depois de três anos após a última apresentação na cidade, o público daqui estava completamente ansioso por uma nova apresentação. PARABÉNS pela CORAGEM e COMPETÊNCIA do COLETIVO MEGAFÔNICA.

Mas antes dos Porongas, a festa foi iniciada pelas bandas paraenses Paralelo XI (direto do município de Primavera), Plug Ventura e Suzana Flag. Cada uma mostrou porque que a cena da Música Independente do Pará é uma das mais admiradas em todo o Brasil.

Os Porongas aproveitaram para, além de matar saudades do público local, também lançar o DVD "Toca Brasil - Los Porongas" (Itaú Cultural). Eles mesclaram músicas do primeiro CD "Enquanto Uns Dormem" (Senhor F Discos) com músicas que estarão no segundo CD da banda, com previsão de lançamento para o início do ano que vem.

Durante a apresentação dos Porongas era nítida a cumplicidade do vocalista Diogo Soares, emocionando e deixando algumas pessoas em lágrimas. Um dos pontos inesquecíveis foi a participação do irmão de Diogo, Daniel Soares, vocalista da banda paraense Sincera.

CONFIRA A ENTREVISTA COM O BATERISTA ANZOL:

Como anda movimentação musical independente no Acre?

É claro o sentimento de renovação e de reorganização das bandas e dos produtores de eventos. Um dos momentos mais esperados será a nova edição do festival Varadouro, que está na quinta edição e será realizado nos dias 26 e 27 de setembro.

A banda está morando há dois anos em São Paulo. Como estão as coisas por lá?

A receptividade tem sido ótima. E a possibildade de morar lá, também nos permite ir tocar em outras cidades do Brasil com mais facilidade.

Como está a pré-produção do segundo CD da banda?

Estamos compondo várias músicas, e a intenção é chegar as 20 músicas, para escolhermos 12 para o CD. A previsão de lançamento é para o começo de 2010.


domingo, 16 de agosto de 2009

Rafael Kent - Um dos maiores e novos representantes da fotografia nacional

Vivendo do Ócio - Por Rafael Kent

Rafael Kent é um dos grandes nomes da nova fotografia nacional. Conheça o trabalho e o que pensa esse baiano sobre fotografia, rock paraense e baiano. "Pra quem quiser conferir meus trabalhos: http://www.rafaelkent.com e http://www.flickr.com/rafaelkent".

Quando começou o teu interesse por Rock? E posteriormente pela fotografia? Existe na tua trajetória essa paralelidade: fotografia e rock?

Cara, é engraçada essa pergunta porque não tenho a mínima idéia de quando começou meu gosto pelo rock, foi desde tão cedo que eu nem consigo me lembrar. Quando eu era muleque (ou quando comecei a me entender por gente) já lá em Salvador lembro que pedia pra minha mãe discos do Elvis e do Jackson (claro, era o mestre). Lembro que via umas propagandas do disco do Elvis na TV (as colêtaneas) e ficava dançando igual a ele.

Mas depois disso entrei numa fase negra de música baiana, não havia muito com quem compartilhar as coisas, não havia internet e material e pessoas que curtiam rock era escassas. Sem contar que pra grande maioria quem ouvia rock (ainda mais na Bahia) era bandido, maloqueiro e tatuava "666" na testa. Mais ou menos isso...

Mas quando eu já estava com meus 13 anos um amigo me apresentou as músicas do Iron e do Metallica que nessa época estava com o Black album. Foi aí, que "a Força me trouxe de volta".
Mesmo assim não foi dessa vez que comecei de verdade a frequentar os lugares e a ouvir o que ouço hoje, mais pra frente que resolvi começar a trabalhar com bandas, produção e me envolvi de cabeça nisso tudo.

Mudando pra SP as coisas melhoraram por um lado e pioraram em outras, mas é a vida, após cinco anos morando nessa cidade caótica é que as coisas começaram a engrenar, acho que é o natural quando você se muda de mala e cuia pra outro lugar imenso, sem um passado e sem nada certo.

Quanto a fotografia nunca houve de fato essa paralelidade que você mencionou, o que aconteceu é que como eu sempre conheci muita gente do meio da música devido aos meus trabalhos como produtor foi mais fácil ter acesso privilegiado a algumas pessoas e alguns shows.

Hoje faço fotos de shows porque gosto, principalmente de rock, mas estou focando em outras coisas como moda e fotografia no geral. Quando, por exemplo, fotografei o Cesar Menotti & Fabiano no Credicard Hall, foi engraçado.

Quais momentos mais interessantes em todo esse teu trajeto como fotógrafo?

Acho que não houve "os momentos", mas tá sendo tudo muito bom. Por exemplo, quando realizei meu primeiro ensaio de moda tomei um susto com o resultado, porque ficou além do que eu achei que fosse ficar e o da equipe também. As modelos levaram as fotos pra agência e o booker de lá entrou em contato comigo querendo saber mais do meu trabalho.

Essas coisas são sempre gratificantes, viajar de turnê com o Sugar Kane também foi muito bacana, com o Leela, com O Círculo, Diamba, Terceira Edição e toda essa galera é sempre bem legal. São esses os momentos interessantes e gratificantes.

Quais são os trabalhos para o futuro?

Como disse estou correndo atrás de fotografia de moda e publicidade, estou sempre procurando pessoas para servir de assistente inclusive, você consegue aprender muito com isso. E estou apostando em duas bandas de amigos que com certeza vão causar algum barulho mais pra frente, o Vivendo do Ócio e o Terceira Edição.

E é claro, o que você poderia destacar do Rock Paraense? E também do Rock Baiano?

Olha Sidney, do rock paraense você já deve saber da minha resposta óbvia, o Madame Saatan com certeza, primeiro porque a banda é irada, pesada e a vocalista é demais ao vivo, grande Sammliz. E em segundo porque meu grande amigo Jera fez parte desse primeiro CD deles.
Do rock baiano tem coisa boa, me chamam de bairrista, por isso até. Mas tem o Vivendo do Ócio, que acaba de lançar disco pela Deckdisc e vale a pena ouvir, tem O Círculo, que infelizmente acaba de ficar sem vocalista e espero que eles dêem a volta por cima, tanto o Pedro como a banda toda. Tem o Cascadura claro, com 15 anos de banda ai na labuta, tem a Vendo 147 que é a única banda Clone Drums do brasil eu acho e mais algumas outras bacanas. Tem o Honkers também do Bubute, a figura das figuras.

Costumo dizer que pra mim as melhores bandas estão no Norte/Nordeste, e tenho certeza de que estou certo.


sexta-feira, 14 de agosto de 2009

FESTAS CONTROL: ROCK HORROR CONTROL


ASSISTA TRAILER DO FILME "END OF CENTURY" NO FINAL DO TEXTO


TEXTO DE DIVULGAÇÃO


A selva amazônica esconde criaturas, contos, causos e mandingas que assombram o imaginário de quem mora nesta região inóspita do mundo. Uma das maiores lendas e que vem fazendo os pais fecharem a porta da casa cedo e as mães temerem pela inocência de suas filhas e a lenda do “Rock Horror Control”.


De acordo com a trama “Rock Horror Control” acontece no segundo sábado de agosto, no dia 15/08 com inicio às 21:00 horas. Contam os mais crentes que existe o Lançamento do “Cine Rock Clube” e que neste dia passará o documentário “End Of The Century” da banda Ramones. Que esta banda é um divisor de águas na música por sua simplicidade inovadora e por isso causava furor nos jovens cristãos e até de outras entidades religiosas. A exibição é grátis e por isso o medo dos pais da região, pois os filhos podem voltar transformados para sempre depois de ouvir e ver tal banda.

A partir das 22:00 horas começa aquilo que os que residem na floresta chamam “A Festa”, algumas entidades encarnarão na forma de Dj’s da Control e colocarão o melhor da música para a galera sentir o tinhoso lhe tocando o coração e dizendo: Dance o Rock Roll! Ainda há entidades passageiras que viriam de outras macumbas para tocar um set animal e marcar a vida de todos os presentes para sempre seriam esse o Dj Defunto (Dança no Escuro), e o Dj Ian. Contam que certa bebida é utilizada para invocar os espíritos, um tal de CERVEJÃO, o néctar oferecido a míseros R$2,50 seria o elixir da transformação.

Fora isso há adesivos Control para os 100 primeiros que pagarem o ingresso e a Batcave. A lenda está ai e quem quiser conferir basta desafiar o medo de sair a noite e ir lá ao Boteco da Tamandaré, na encruzilhada da Almirante Tamandaré com a 16 de novembro, ali ao lado do ASLAN no dia 15/08 às 21:00 horas. Se você não acredita, apareça por lá e confira!

Serviço:

CONTROL APRESENTA:
Rock Horror Control
Data:15/08
Começando com a exibição do filme:
“End Of The Century”
Hora: 09:00 Horas
Preço: De Graça
Depois a Festa para os incansáveis!
Hora: 23:00
Preço: $5,00 (apartir das 22:00 horas) - Adesivos Control para os 100 primeiros
Local: Boteco Tamandaré (Antigo Comunicarte) – Tamandaré Ao Lado do ASLAN


video

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

LOS PORONGAS EM BELÉM E WORKSHOP DO BATERISTA ANZOL (LOS PORONGAS)



Não percam! Vai rolar um Workshop para bateristas e interessados com o Anzol, baterista do Los Porongas, sexta-feira, 17h na loja Ná Figueredo!

video

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Los Porongas em Belém - Neste sábado

Crédito da foto: Renato Reis

No próximo sábado, a partir das 22h, no Açaí Biruta, acontecerá um dos shows mais esperados em Belém, Los Porongas (www.myspace.com/losporongas). Além dessa grande banda acreana, a programação ainda contará com grandes atrações como Suzana Flag (www.myspace.com/suzanaf), Plug Ventura (www.myspace.com/plugventura) e Paralelo XI. A produção dessa confraternização da cultura independente é do Coletivo “Megafônica”, e uma das produtoras, Bahrbara Andrade, contou muita coisa nessa entrevista sobre música independente; mas sobretudo, sobre o show de sábado. Veja no final da entrevista o clipe da música "Enquanto uns dormem", da banda Los Porongas.

Megafônica Produções é formada por Bahrbara Andrade-produção executiva; Kamilla Vulcão-produção executiva; Eduardo Azevedo-assistente de produção e Henrique Oliveira-produção de palco




Bem, conte um pouco da história da produtora? E quem faz parte? Eventos já realizados?

Bom, a Megafônica surgiu em maio do ano passado, quando eu chamei a Kamilla pra fazer shows comigo, e como nós duas já tínhamos sido da Abunai, já sacávamos como funcionava produção, também já tínhamos produzido bandas, eu produzia o bizzózzeros e ela, o aerolito. Enfim, depois aumentamos a equipe com outros membros: Eduardo, Henrique e Laís, e mudamos o nome pra Coletivo Megafônica (antes era Megafônica Produções). Já fizemos shows pequenos, com bandas locais, como Turbo, Aeroplano, Velocípedes, Sincera. Depois trouxemos o Jardim das Horas (ex Quarto das Cinzas) e agora nosso passo maior e desejo antigo: Los Porongas

Você como produtora de eventos e também de bandas. Qual é a sua opinião sobre a cena da música independente no Pará?

Acho que funciona como um movimento pendular, está o tempo todo com altos e baixos. A gente acabou de sair de uma fase de só ter festas com DJs, o tempo todo, o que tava sendo muito ruim para as bandas, logicamente. Mas nos últimos meses parece que voltou a engrenar, mas mesmo assim é muito incerto, não dá pra saber até quando vai durar, e isso é uma responsabilidade das produtoras também. Por isso a gente já tá programando uma agenda pra esse semestre para não deixar a coisa murchar, assim como o pessoal do Se Rasgum também já está pensando na mesma coisa pra antes do festival

Quais são os próximos projetos? Dá só uma adiantada

Em setembro a gente vai trazer o Stereovitrola (AP), para fazer o lançamento do CD deles aqui, e estamos negociando mais duas bandas de fora também.


SERVIÇO:


Show das bandas Los Porongas (Acre), Suzana Flag, Plug Ventura e Paralelo XI. Neste sábado (15), a partir das 22h, no Acaí Biruta (rua Siqueira Mendes, próximo da Igreja da Sé, Cidade Velha). Produção: Coletivo "Megafônica". Ingressos antecipados até meia noite 15$ (loja Ná Figueredo), depois 20$. Mais Informações: Bahrbara Andrade(9160.7279/3266.2489).
CLIPE DA MÚSICA "ENQUANTO UNS DORMEM" DA BANDA LOS PORONGAS

video

terça-feira, 11 de agosto de 2009

PROGRAMAÇÃO DA ABUNAI PRODUÇÕES

Mukeka di Rato
---------------------------------------------------------------------------------------------



Todas as informações no fotolog: www.fotolog.com/abunai_producoes
AGENDA ABUNAI PRODUÇÕES:
ABUNAI PRODUÇÕES APRESENTA: Lançamento das demos das bandas NO FOUND, DISTORCIVA e SOLDADOS. Com as bandas: -PELOS ARES-SOLDADOS DE EMMANUELLE-SPS 12(Macapa-AP)-NO FOUND-DISTORCIVA-INFLAMÁVEIS
DATA: 15/08/2009
LOCAL: Scorpions rock bar (16 de novembro/tamandaré)
HORA: 16:00
PREÇO: R$5,00
--------------------------------------------------------------------------------
ABUNAI PRODUÇÕES APRESENTA“NÓS IMITA MESMO”. Com as bandas: -RAMONES COVER-RAIMUNDOS COVER-GREEN DAY COVER
LOCAL: Café com Arte
DATA: 22/08/09.
HORA: 22h.
PREÇO: 10,00 antecipado e 15,00 na hora
-------------------------------------------------------------------------------------------------
ABUNAI PRODUÇÕES APRESENTA: MUKEKA DI RATO (ES) “Pela primeira vez em Belém”+ -DELINQUENTES- ALL STILL BURNS: DATA: 12/09/2009. HORA: 18h
------------------------------------------------------------------------------------------------
ABUNAI PRODUÇÕES APRESENTA: -CARBONA(RJ) em outubro a maior banda de bubblegum do Brasil em Belém +-HEBE E OS AMARGOS
BLOG:
PERFIL NO ORKUT:
COMUNIDADE NO ORKUT:
FLICKR:
ABUNAI PRODUÇÕES CONTATO:
A/C SANDRO BARRADAS RIBEIRO. AV: Perimetral, 1618. Bairro: Marco CEP: 66095-780. Belém - Pará (91) 3276-2114 (Sandro) abunairecords@yahoo.com.br

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Móveis Coloniais de Acaju em Belém: Um dos melhores shows do ano


CRÉDITO DA FOTO: THIAGO ARAÚJO

Ainda estou me recuperando de um belo torcicolo, devido ao que aconteceu sábado passado, no Hotel Gold Mar, em Belém, durante a última parte das Seletivas do Festival "Se Rasgum". As bandas vencedoras foram: Sincera, Juca Culatra e Power Trio e Inversa. E a atração principal da noite foram "os Móveis Coloniais de Acaju", ou melhor, a banda Móveis, direto de Brasília. Mais de mil presentes.....ALEGRIA TOTAL.

Quando cheguei no local do acontecido, já estava completamente lotado, e na verdade, não tinha clima de disputa algum; mas sim de celebração do Rock Paraense. Mesmo não entrando, a apresentação da Tenebrys foi uma das melhores, com o metal gótico muito bem feito. Porém, logo depois, do show da última banda paraense, já estava instaurada a euforia e a ansiedade em todos (bêbados ou não) para o show dos Móveis. Eles mostraram porque fazem um dos melhores shows da cena independente nacional. Ainda contaram com a participação, mais do que especial, do Pipira do trombone

Os caras já entraram no palco com o hit "Copacabana". E já não era nem mais preciso pular, porque o chão já te levantava, por causa da vibração do público. Durante quase duas horas, o clima de pura alegria e amizade entre todas as pessoas foram os pontos culminantes. Parabéns, mais uma vez, pela COMPETÊNCIA dos produtores da Se Rasgum. Mas sobretudo, PARABÉNS, para todas as bandas paraenses.

E só um recado: O Rock daqui não está morto, como já profetizaram.

domingo, 9 de agosto de 2009

DOMINGO É DIA DE BACKSTAGE - ENTREVISTA COM VITÃO BONESSO


Para quem acompanha a História do Rock Pesado no Brasil é imprescindível conhecer o trabalho do jornalista e radialista Vitão Bonesso. Ele apresenta há mais de 20 anos o programa "Backstage", que pode ser escutado na Kiss FM (www.kissfm.com.br), todos os domingos das 22 à meia noite e também 24 horas no site www.radiobackstage.com. Conheça agora, um pouco do trabalho de Vitão Bonesso.


Como foi o teu primeiro contato com o Universo do Rock e, sobretudo, do Heavy Metal?

Meu contato com o Rock começou por intermédio do meu pai. Ele gostava de bandas como Beatles, Ventures e eu fui atrás. Entre 1966 até o inicio dos anos 70 eu só gostava dos Beatles, até um disco do Deep Purple, Fireball, cair em minhas mãos. Ai a coisa foi crescendo e deu no que deu.

Você já está há mais de 20 anos com o programa de rádio "Backstage", que também já está na internet. Quais foram os momentos mais marcantes?

Nossa, foram vários muitos mesmo. Só o fato de chegar a vinte anos já foi algo marcante. Começar a minha rádio na Net em fevereiro de 2006 também foi uma vitória. Algumas entrevistas foram marcantes, como a que fiz com o Ritchie Blackmore, Geddy Lee do Rush, Ozzy. Foram muitas, cerca de 270 e seria difícil relatá-las aqui. Mas acho que algo bastante importante nesse tempo todo, foi o reconhecimento dos bangers do Brasil para com o meu trabalho. Isso sem dúvidas é muito importante pra mim .

Falando de Heavy Metal, vai ser lançado o DVD "Brazil Heavy Metal". Qual é a importância desse projeto para cena headbanger do Brasil?

Acho que é uma forma rápida é fácil das pessoas conhecerem o movimento desde seu inicio. Estou acompanhando o processo desde o inicio, e posso adiantar que é um trabalho sério e muito bem elaborado, q eue me deixou muito orgulhoso de fazer parte.

Quais são os teus próximos projetos?

Não tenho muito tempo para pensar em nada a não ser dar continuidade aos trabalhos da Rádio Backstage e a comandar meu programa na Kiss Fm., cuidar da minha coluna e algumas matérias adicionais na revista Roadie Crew. E te garanto que isso já da um trabalhão danado!

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Móveis Coloniais de Acaju na festa de lançamento da 4ª edição do FESTIVAL SE RASGUM


Móveis - "Seria o Rolex?"

video

Sábado, 08, a partir das 20h, no hotel Gold Mar, em Belém, será a grande noite para quem prefere música de qualidade e inovadora. Nessa data acontecerá um dos eventos mais esperados por uma galera, a final das Seletivas da 4ª edição do festival “Se Rasgum” (http://www.serasgum.com.br/). E a atração principal será a banda Móveis Coloniais de Acaju (www.myspace.com/moveis), uma das legais da Música Independente Brasileira.
Na ordem: 1. Hebe e Os Amargos, 2. Inversa, 3. Ultraleve, 4. Máfia da Baixada, 5. Plug Ventura, 6. Juca Culatra & Power Trio, 7. Tenebrys e 8. Sincera mostrarão porque foram as escolhidas para essa final, que terá lugar para apenas três lugares. Não esqueça, a 4ª edição do festival “Se Rasgum” ocorrerá nos dias 13, 14 e 15 de novembro, no African Bar.
Além de todas essas apresentações locais, o público insano de Belém ainda suará bastante com a apresentação alucinante dos brasilienses dos Móveis Coloniais de Acaju. Essa festa também será o lançamento de mais uma edição, que com certeza ficará novamente na memória de quem estiver lá. Então....enjoy it.

Móveis - "Se essa rua fosse minha - 2ª edição do festival "Se Rasgum"

video